Vulvovaginite. O que é?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Vulvovaginite. O que é?

Quando há uma inflamação simultânea da vulva e da vagina, ocorre a vulvovaginite.

Na maioria das vezes é causada por bactérias, fungos ou vírus, mas pode ser desencadeada por algum tipo de alergia aos compostos químicos de cremes e sabonetes, como também por alterações hormonais.

Sintomas:

  • inchaço da região íntima
  • corrimento com odor forte
  • coceira
  • vermelhidão e irritação da região íntima
  • queimação ou dor ao urinar
  • pequenos sangramentos

É possível que a vulvovaginite acometa mulheres de qualquer idade, entretanto ela é mais comum naquelas pacientes que têm vida sexual ativa, pois as relações íntimas propiciam a troca de fluidos e o contato com vírus e bactérias

Diagnóstico:

Muitas vezes a vulvovaginite é diagnosticada pelo relato dos sintomas e um simples exame no consultório ginecológico. Porém, em alguns casos pode ser necessária a coleta da secreção vaginal para análise em laboratório, a fim de identificar a causa exata da inflamação para um tratamento mais preciso.

As causas principais:

Muitas podem ser as causas da vulvovaginite, mas as principais são as seguintes:

  • infecções por vírus e bactérias
  • uso de roupa íntima apertada ou falta de higiene
  • infecções por sarnas, parasita ou vermes
  • excesso de fungos, como candidíase
  • doenças sexualmente transmissíveis, principalmente tricomoníase

Algumas mulheres desenvolvem vulvovaginite por possuírem hipersensibilidade a substâncias como sulfato de sódio e parabenos, compostos químicos presentes em detergentes para roupas, sabonetes e cremes.

Os sintomas costumam surgir logo após o uso dos produtos e tendem a aliviar ao lavar a região com água morna e sabonete íntimo apropriado.

Para as crianças, a causa mais comum costuma ser a baixa presença de estrogênio no organismo, fator que favorece o surgimento das infecções da região íntima, causadoras de vulvovaginite.

Tratamento:

O tratamento adequado depende da causa da vulvovaginite.

Nos casos de infecção por bactérias é necessário o uso de antibióticos, para quadros causado pelo excesso de fungos são receitados os medicamentos antifúngicos. Portanto, a consulta ao ginecologista é indispensável para a realização de um tratamento efetivo.

Todavia, é possível realizar tratamentos em casa concomitantes aos receitados pelos médicos. Banhos de assento com sal grosso ou 3 colheres de sopa de vinagre de maçã podem ajudar bastante no alívio dos sintomas.

É importante também priorizar o uso de calcinhas de algodão, vestidos e saias, pois proporcionam ventilação na região genital e reduzem, assim, o risco de piora do quadro de vulvovaginite.

Cuide-se. Caso perceba qualquer alteração no funcionamento do seu sistema reprodutor, agende uma consulta. Não deixe para depois. E lembre-se: A Clínica Ayroza Ribeiro está sempre de portas abertas.