Compreendendo a relação entre inflamação e endometriose

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Compreendendo a relação entre inflamação e endometriose

Neste artigo iremos apresentar alguns aspectos sobre como a inflamação e endometriose estão relacionadas.

A inflamação é um processo natural do corpo que ocorre quando há algum tipo de lesão ou ameaça ao organismo. O sistema imunológico libera glóbulos brancos para a área de invasão ou trauma, a fim de proteger o corpo e acabar com qualquer infecção que possa estar presente. O resultado para nós é inchaço, vermelhidão e dor, mas a cura está realmente ocorrendo.

O que é inflamação crônica?

A inflamação ordinária não é de longa duração e, sim, uma resposta temporária a um trauma ocasional que uma vez curado, tem seu fim. No entanto, a inflamação crônica ocorre quando, por algum motivo, o corpo se sente constantemente ameaçado por um trauma ou invasão que não podem ser curados. 

A inflamação crônica é, portanto, bastante prejudicial ao corpo e, quando se trata de endometriose, pode causar aumento da dor.

Quais são as ligações entre inflamação e endometriose?

A endometriose é uma doença inflamatória e, sendo assim, diferentes compostos químicos inflamatórios desempenham um papel no crescimento e desenvolvimento da doença.

Todavia, a endometriose também libera inflamação na área circundante ao seu desenvolvimento e, de forma concomitante, desencadeia uma reação inflamatória de todo sistema imunológico.

A defesa natural do corpo é incapaz de “limpar” a endometriose e, portanto, o ciclo de inflamação continua ao mesmo tempo que o organismo tenta curar a área. Com o tempo, isso resulta em mais tecido cicatricial, o que causa mais danos aos órgãos e inflamação nas áreas da pelve.

Compostos químicos inflamatórios conhecidos como prostaglandina E2 foram encontrados em níveis mais elevados na cavidade pélvica de pacientes com endometriose, especificamente no líquido que envolve os órgãos pélvicos e abdominais, conhecido como fluido peritoneal. 

No entanto, as pesquisas mostraram que essas pacientes costumam apresentar, além da inflamação pélvica, níveis mais elevados de oxidação, um processo prejudicial que intensifica as inflamações no organismo.

Por fim, descobriu-se que mulheres com períodos dolorosos também têm níveis elevados desses compostos químicos pró-inflamatórios no sangue menstrual.

Quais são os riscos da inflamação crônica?

A inflamação crônica tem uma série de efeitos colaterais e foi associada a algumas das doenças e problemas de saúde mental mais prevalentes do mundo, como diabetes e depressão. Por isso, é muito importante que todos estejam cientes da existência e riscos da inflamação crônica, não apenas as pessoas com endometriose.

O que mais causa inflamação crônica além da endometriose?

Um estilo de vida inflamatório, como fumar, beber, dormir pouco, não se exercitar e ter uma dieta rica em alimentos inflamatórios pode contribuir para o desenvolvimento de processos inflamatórios crônicos.

Entre os alimentos que são conhecidos por causar inflamação, podemos citar: gorduras trans, açúcar, álcool, carne processada e, para algumas pessoas, certos alérgenos como o glúten.

Quais são algumas das estratégias para reduzir a inflamação crônica?

Dedicar-se para manter uma dieta rica em nutrientes e abundante em alimentos anti-inflamatórios é uma das melhores maneiras de reduzir a inflamação.

Os antioxidantes, que contra-atacam o processo inflamatório de oxidação, são encontrados em abundância em frutas e vegetais de cores vibrantes, portanto, o termo “comer o arco-íris” é usado por um bom motivo! É claro que evitar alimentos pró-inflamatórios como açúcar e álcool também faz uma grande diferença.

Além disso, o estresse crônico também causa inflamação. Portanto, aplicar medidas para controlar o estresse com práticas de redução do cortisol, como ioga e meditação, é muito útil. 

Finalmente, levar um estilo de vida geralmente saudável, que inclui alguma forma de exercício diário e sono adequado, com certeza terá um papel fundamental na redução da inflamação.

Lembre-se de priorizar sempre sua saúde e tirar todas as dúvidas com profissionais da saúde de sua confiança.