Puerpério – Tudo o que você precisa saber

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Puerpério - Tudo o que você precisa saber

Durante a gestação, o organismo feminino enfrenta mudanças internas para que o feto possa se desenvolver da melhor maneira e venha a tornar-se um bebê saudável. Depois do nascimento da criança, quando as “recém-mamães” podem pensar que as alterações corporais chegaram ao fim, tem início o puerpério.

Essa fase, muitas vezes, é considerada complexa porque não é apenas o corpo que se modifica, ocorrem também desdobramentos no aspecto psicológico das mulheres.

O puerpério, também conhecido como resguardo ou quarentena, consiste em um período que dura entre 45 e 60 dias, contados após o nascimento do bebê. Nessa fase, as taxas hormonais sofrem consideráveis quedas e os órgãos restituem suas características de não-gravidez.

Para melhor ilustrar essa retomada, tomemos o útero como exemplo. Durante a gravidez o órgão chega a medir 32 centímetros e pesar 1 quilo e meio. Ao fim do puerpério, o útero volta a ter em torno de 7 centímetros e 600 gramas. Esse processo recebe o nome de involução uterina.

A amamentação é uma aliada da mulher durante esse período. Afinal, além de nutrir e proteger o bebê, o aleitamento materno libera ocitocina no organismo feminino. Esse hormônio, estimulado pela sucção do bebê, auxilia o corpo a retomar suas características anteriores à gravidez.

Aqui, entra em cena outro fator importante para o puerpério, a questão hormonal.

A queda vertiginosa dos níveis de progesterona e estrogênio pode desencadear quadros de depressão pós-parto ou baby blues. É indicado buscar auxílio médico para evitar maiores complicações desses quadros.

As Fases do Puerpério

Existem outros fatores a serem considerados durante o puerpério, que vão além da retomada do organismo à sua condição anterior à gestação.

O sangramento vaginal pós-parto, cientificamente chamado de lóquio, pode durar ao menos 30 dias e irá fazer parte do dia a dia da puérpera. E isso independe do tipo de parto que tenha sido realizado.

Durante o puerpério imediato – até o 10º dia posterior ao parto, o lóquio é bastante parecido com a menstruação, tanto na coloração do sangue como no fluxo em que ele aparece.

Na fase chamada puerpério tardio (11º ao 25º dia) o fluxo sanguíneo diminui consideravelmente e a secreção fica rosada até desaparecer totalmente.

Preste atenção durante o lóquio em busca dos seguintes sinais:

  • Odor forte;
  • Febre;
  • Dores abdominais persistentes;
  • Hemorragia.

Esses possíveis cenários podem ser indicativos de processos infecciosos. Portanto, é indispensável que a paciente siga as recomendações médicas e compareça a todas as consultas marcadas.

Vida Sexual e Fertilidade

A mulher tem a função reprodutiva interrompida durante o puerpério, que só será retomada, em média, depois da sexta semana pós-parto.

Essa janela temporal pode variar de acordo com cada organismo, por isso é tão importante manter a atenção focada nos métodos contraceptivos durante esse período para evitar uma nova gravidez.

Passado esse período, a menstruação volta a acontecer como resultado da cicatrização do útero e seu retorno à normalidade.

No que diz respeito às relações sexuais, elas devem ser interrompidas até que o ginecologista dê alta para a paciente. Geralmente, esse período de resguardo sexual dura 30 dias, mas pode ser maior caso a cicatrização da incisão da cesárea ou da episiotomia (nos partos normais) ainda não tenham sido concluídas totalmente.

A incontinência urinária é outra complicação que pode vir a ocorrer no puerpério em mulheres que realizaram parto normal, todavia, esse quadro pode ser minimizado e revertido com exercícios pélvicos.

Amamentação

A amamentação é fundamental durante o puerpério, além de possibilitar a criação de laços entre a mãe e o bebê.

O leite materno começa a ser produzido entre 24 a 72 horas depois do parto e a chegada desse leite pode ser percebida pela mamãe. Os seios incham bastante, ficam mais quentes e levemente doloridos.

O ato de amamentar, contudo, às vezes não é algo simples. Há mulheres que não produzem a quantidade necessária de leite materno, em outros casos o líquido pode não conter todos os nutrientes essenciais para o começo da vida da criança, sendo recomendada a suplementação.

A alimentação saudável e adequada durante essa fase da vida é indispensável para o bem-estar da mãe e do bebê. Por isso, priorize o acompanhamento nutricional, mantenha-se hidratada e procure descansar o máximo possível.

Aspecto Emocional

As consequências emocionais e psicológicas despertadas pelo puerpério tornam essa fase bastante complicada.

Com os sentimentos à flor da pele, um misto de euforia e apreensão deixa muitas mulheres confusas e inseguras, até mesmo mães experientes.

O apoio do companheiro ou companheira significa bastante e exerce papel fundamental para que esse período seja mais fácil de vivenciar.

Bem como no pré-natal, o acompanhamento médico durante o puerpério contribui sobremaneira para que as etapas sejam superadas com mais tranquilidade.

Não hesite em procurar assistência médica caso tenha qualquer dúvida e coloque sempre sua saúde como prioridade.