Os Tipos de Miomas Uterinos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Os Tipos de Miomas Uterinos

Os leiomiomas, também conhecidos como miomas uterinos ou fibromas, são tumores benignos sólidos constituídos por tecidos fibrosos e musculares.

Esses miomas são monoclonais, ou seja, têm origem a partir de uma única célula da camada muscular lisa do útero, o miométrio, e por isso podem ser encontrados em qualquer parte do órgão. Eles podem aparecer de forma isolada ou em grande quantidade, de variados tamanhos e formas.

Existem 4 principais categorias para esses nódulos, que correspondem ao local do útero em que se desenvolveram:

  • Miomas Subserosos: desenvolvem-se logo abaixo da serosa (a camada que reveste a parte mais externa do útero) seu crescimento é direcionado para fora do órgão.
  • Miomas Intramurais: são os de maior ocorrência e localizam-se dentro da parede muscular uterina.
  • Miomas Submucosos: localizados na camada interna do útero, desenvolvem-se no sentido da cavidade uterina e podem prejudicar o endométrio.
  • Miomas Pediculados: esse tipo de mioma é uma espécie de evolução de nódulos subserosos que cresceram e se destacaram parcialmente do útero, ficando ligados por um fino cordão, chamado pedículo. Podem se desenvolver tanto para fora quanto para dentro da cavidade uterina.

Desenho de um útero acometido por miomas de diferentes tipos.

Uma questão muito importante é que os miomas uterinos podem ou não causar sintomas, o que torna o diagnóstico um desafio ainda maior para médicos e pacientes.

De maneira geral, quando os nódulos são pequenos eles são assintomáticos. Quando existe a ocorrência de sintomas, eles são diversos e variam de acordo com a localidade em que se encontra o mioma.

Os principais sintomas:

  • Aumento do fluxo menstrual
  • Vontade constante de urinar, sensação de bexiga cheia ou dificuldade de esvaziá-la
  • Intestino preso
  • Dores durante as relações sexuais (dispareunia)
  • Sangramento fora do período menstrual
  • Menstruação mais longa (mais de 7 dias)
  • Sangramento vaginal com coágulo
  • Dor pélvica ou sensação de pelve pesada
  • Infertilidade


Todos os sintomas supracitados podem ser causados por outras tantas enfermidades. É indispensável uma anamnese cuidadosa e que sejam feitos os exames necessários para um diagnóstico preciso.

O diagnóstico:

Depois de fazer algumas perguntas, ouvir o que a paciente tem a dizer e realizar um exame clínico, caso as suspeitas de miomas uterinos se fortaleçam, o médico pode pedir a realização de um ultrassom transvaginal e pélvico. Outros exames como a ressonância magnética, histeroscopia, histerossonografia e a histerossalpingografia  podem ser necessários, a depender do caso, para um melhor e mais preciso diagnóstico.


O tratamento:

Especialistas concordam que, caso os miomas uterinos sejam pequenos e não representem riscos para a saúde e qualidade de vida da paciente, basta um acompanhamento regular do quadro clínico para monitorar a situação dos miomas com o passar do tempo.

Entretanto, para os casos mais complexos, existem 3 vias possíveis para o tratamento:

  • Medicamentosa: método que utiliza de fármacos anti-inflamatórios e hormonais, para reduzir a agressividade dos sintomas e diminuir ou impedir o crescimentos dos nódulos, respectivamente. Porém, esse tipo de tratamento costuma ser efetivo apenas enquanto os medicamentos são ministrados, um intervalo de tempo que não pode exceder seis meses.
  • Embolização: consiste em interromper a fonte de nutrição do mioma ao embolizar a artéria uterina e, assim, interromper o fluxo sanguíneo que permite o crescimento do fibroma. Indicado em casos em que a paciente deseja permanecer capaz de engravidar ou quando a histerectomia não é necessária ou contra-indicada.
  • Cirúrgico: método indicado para miomas sintomáticos, de grande volume e que apresentem riscos consideráveis para a saúde da paciente ou para a fertilidade da mulher. Existe a possibilidade de uma miomectomia, para retirada somente do mioma, ou a histerectomia, retirada do útero, que deve ser indicada somente em situações bastante complexas e nocivas.

Qualquer dúvida ou sinal de que seu organismo não está funcionando corretamente, recorra a um profissional especialista de sua confiança.

Lembre-se que a Clínica Ayroza Ribeiro estará sempre à disposição.