Os estágios da endometriose

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Os Estágios da Endometriose

Neste artigo iremos explicar melhor quais são e as características dos estágios da endometriose. Confira!

Se você for diagnosticada com endometriose, também poderá receber mais informações sobre as características de sua condição. Cada caso de endometriose pode variar em gravidade, classificação, sintomas e características definidoras. 

Algumas das formas mais reconhecidas de endometriose são a endometriose peritoneal superficial, endometriomas ovarianos e endometriose infiltrativa profunda. No entanto, esta não é uma lista exaustiva de todas as formas que a endometriose pode apresentar.

Além disso, dentro de cada uma dessas classificações também existe uma escala móvel de gravidade. Também é possível ter vários tipos de endometriose ao mesmo tempo.

Uma coisa que é importante notar, é que o tipo ou gravidade da endometriose presente nem sempre estão correlacionadas com os sintomas que uma paciente apresenta. 

Por exemplo, alguém com endometriose peritoneal superficial leve pode sentir mais dor ou sintomas físicos do que alguém com endometriose infiltrativa profunda e mais grave. 

Apesar dessas diferenças, você provavelmente receberá uma classificação de estadiamento para sua endometriose. Isso permite que seu médico acompanhe como sua endometriose está mudando ao longo do tempo em uma escala comumente usada. 

Conheça os quatro estágios da endometriose

O método atual de estadiamento da endometriose é baseado nas diretrizes da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM, na sigla em inglês).

Os estágios variam de I (um) a IV (quatro), sendo I o mais leve e IV o mais grave. Novamente, esses estágios não se correlacionam necessariamente com os sintomas experimentados, visto que uma mulher com estágio IV pode ser assintomática (não apresentar sintomas), enquanto uma mulher com estágio I pode apresentar sintomas debilitantes.

A endometriose é classificada com base na localização, profundidade e extensão das lesões; o tamanho e a presença de quaisquer endometriomas (cistos ovarianos relacionados à endometriose); a gravidade das aderências presentes (feixes de tecido cicatricial que podem aderir estruturas pélvicas umas às outras); e qualquer tipo de bloqueio relacionado à endometriose dentro das trompas de Falópio. 

Cada fator é pontuado, com pontuações mais altas indicando uma progressão mais avançada. A divisão da pontuação é aproximadamente a seguinte:

Estágio I: endometriose mínima com pontuação de 1 a 5 na escala ARSM. A endometriose desse tipo geralmente apresenta lesões superficiais, com muito poucas, se houver, lesões pequenas e profundas. Normalmente, os endometriomas não estão presentes e quaisquer aderências encontradas são de natureza leve e transparente.

Estágio II: endometriose leve com pontuação de 6 a 15 na escala. A endometriose no estágio II tem muitas das mesmas características do estágio I; no entanto, elas são um pouco mais avançadas. A endometriose no estágio II também pode ser mais disseminada do que no estágio I, afetando mais áreas da pelve, incluindo o espaço entre o ânus e a vagina.

Estágio III: endometriose moderada com pontuação de 16 a 40 pontos. O estágio III tem todas as mesmas características dos estágios I e II; no entanto, essas são marcadamente mais graves. Os endometriomas estão frequentemente presentes e as aderências são extensas e densas. Mais lesões de endometriose são profundamente infiltrantes em vez de principalmente superficiais.

Estágio IV: endometriose grave com pontuação de 40 pontos ou mais. A endometriose em estágio IV tem todas as características dos estágios I-III; no entanto, as aderências são tão graves e densas que podem conectar estruturas umas às outras, como os ovários às trompas de Falópio, junto com outras estruturas que não devem ser unidas. Isso impede o funcionamento adequado e restringe o movimento interno. As trompas de Falópio podem até ficar completamente fechadas por aderências, causando um grande impacto na fertilidade.

Busque apoio médico caso note qualquer dos sintomas da endometriose e não hesite em perguntar e tirar todas as suas dúvidas. Os exames de rotina também são de vital importância para aumentar as chances de realizar um diagnóstico assertivo o mais cedo possível.