O que é endoscopia ginecológica?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
O que é endoscopia ginecológica?

A endoscopia ginecológica é uma técnica que utiliza pequenos aparelhos chamados de endoscópio para visualizar o interior do abdômen e dos órgãos genitais. É constituída por dois procedimentos principais: laparoscopia e histeroscopia. A endoscopia ginecológica já existe há vários anos em todo o mundo mas nos últimos anos, com o surgimento de pequenas câmeras de vídeo, estes dois procedimentos passaram a ser chamados de videolaparoscopia e videohisteroscopia, pois estas microcâmeras captam as imagem geradas pelo endoscópio e transmitem para um monitor de televisão.

-Videolaparoscopia diagnóstica

-Videohisteroscopia diagnóstica

-Videolaparoscopia cirúrgica

-Videohisteroscopia cirúrgica

Como é feita a videolaparoscopia?

Videolaparoscopia Diagnóstica

A videolaparoscopia diagnóstica é um procedimento mini-invasivo extremamente útil no diagnostico de algumas patologias existentes no interior do abdome tais como: endometriose, dor pélvica e aderências genitais, também sendo muito útil no diagnóstico de mulheres com infertilidade. Por ser um procedimento mini-invasivo, a videolaparoscopia é considerada quase um exame ambulatorial, podendo ser realizada em regime de “day hospital” com internação de um dia apenas. 

A videolaparoscopia também possui recursos cirúrgicos, servindo atualmente como principal via de tratamento de diversas patologias.

Videolaparoscopia Cirúrgica

Utilizando alguns recursos a mais do que os utilizados para o diagnóstico, a cirurgia realizada por vídeolaparoscopia funciona como uma extensão do procedimento diagnóstico, com a grande vantagem de ser realizada no mesmo ato. Para que se realize a cirurgia a paciente deve estar sob efeito de anestesia (normalmente anestesia geral) e através de pequenos orifícios feitos na pele são introduzidos os instrumentos para realizar a cirurgia. Atualmente podemos utilizar a videolaparoscopia para tratar as mais diversas patologias ginecológicas como mioma uterino, endometriose, cisto de ovário, gravidez nas trompas e até mesmo fazer cirurgias para retirada de útero ou correção de incontinência urinária. Muitas são as vantagens atribuídas à cirurgia mini-invasiva realizada por video, mas poderíamos dizer que a principal vantagem reside na rápida recuperação e retorno precoce às atividades do dia a dia.

Videohisteroscopia diagnóstica

A videohisteroscopia diagnóstica permite a visualização de todo o interior do útero. Neste procedimento utilizamos pequenos endoscópios com diâmetro variando de  1,2 a 4 mm , que são introduzindos  através do canal do colo do útero e chegam ao interior do útero. Este exame pode ser realizado a nível ambulatorial no próprio consultório médico, desta maneira, evitamos a necessidade de internação e anestesia para realizar o diagnóstico das patologias intra-uterinas como mioma, pólipo , hiperplasia do endométrio , mal formações congênitas e até mesmo do cancer de endométrio. A videohisteroscopia diagnóstica substitui integralmente e com muitas vantagens a curetagem uterina no diagnóstico destas patologias citadas.

Videohisteroscopia Cirúrgica

Com a utilização de alguns equipamentos e instrumentais a mais, a videohisteroscopia diagnóstica pode ser transformada em procedimento cirúrgico, permitindo o tratamento de uma série de patologias uterinas. Neste caso utilizamos um endoscópio com diâmetro uma pouco maior que o utilizado no diagnóstico e por isso, necessita de internação e anestesia. Costumamos realizar a videohisteroscopia cirúrgica em regime de “day hospital” com internação de apenas algumas horas e anestesia peridural ou intradural (semelhante às utilizadas em parto). É um procedimento bastante rápido e preciso, que permite realizar a retirada de miomas uterinos ou polipos endometriais sem que haja a necessidade de abertura do abdome como nas cirurgias convencionais. Pode-se utilizar a videohisteroscopia cirúrgica também para correção de mal formações uterinas e para desfazer aderências intra-uterinas surgidas após traumas como abortamento e infecções uterinas.

A endoscopia ginecológica portanto, serve para realizar o diagnóstico e também o tratamento de grande parte das patologias ginecológicas. Sua base está no conceito da mínima invasão, o que quer dizer que, quanto menor a invasão do copro humano, menor a agressão e os traumas a ele causados.