Mudanças no Corpo Durante a Gestação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Mudanças no corpo durante a gestação

O presente artigo tem como objetivo apresentar as principais mudanças que ocorrem no corpo feminino durante a gestação.

A gestação é uma fase que transforma de maneira intensa o corpo das mulheres. Afinal, ocorre uma volumosa produção de hormônios e demais adaptações necessárias ao organismo para gerar uma nova vida .

Durante os 9 meses da gravidez, além do aumento da barriga e consequente ganho de peso, muitas alterações e diferentes sinais se manifestam.

Trataremos a seguir dos principais sintomas que surgem no decorrer da gravidez.

Náuseas, enjoos e azias

No primeiro trimestre da gestação, náuseas e enjoos são bastante comuns por causa dos altos níveis de estrogênio, progesterona e hCG no organismo. Em média, 80% das gestantes apresentam tais sintomas até a 12ª semana de gestação.

Geralmente as náuseas tendem a deixar de ocorrer no começo do segundo trimestre, ou pelo menos passam a ficar menos frequentes. Em 10% dos casos, pode ser que mulheres grávidas sintam náuseas e enjoos até a 18ª semana.

A intensidade dos sintomas varia, algumas gestantes com apenas mal-estares leves e moderados, enquanto outras mulheres sentem forte desânimo acompanhados de vômitos.

Existem condições mais severas que acometem algumas gestantes e podem acabar por desenvolver hiperêmese gravídica, caracterizada por quadros de náuseas e vômitos tão frequentes que prejudicam ou até mesmo impedem a hidratação e alimentação.

Nessas circunstâncias, algumas gestantes podem necessitar de hospitalização para receberem soro e nutrientes de forma intravenosa.

Uma dica importante para diminuir o mal-estar causado pelos enjoos é alimentar-se assim que despertar e não ficar muito tempo sem comer. 

Evite alimentos de difícil digestão, principalmente antes de dormir, pois os hormônios da gestação, em especial a progesterona, contribuem para tornar os movimentos gastrointestinais mais vagarosos, fator que pode, inclusive, vir a causar azias e refluxos.

Converse sempre com seu obstetra para que ele possa te auxiliar da melhor maneira no combate desses sintomas.

Maior produção de gases e flatulência

Um sintoma ligado ao aspecto gastrointestinal é a maior produção de gases no organismo, que costuma ocorrer no início e no final da gestação.

Os gases podem causar desconfortos abdominais, constipação e flatulência. Por isso, é indicado observar e analisar o comportamento alimentar e evitar o consumo de alimentos que contribuem para a produção de gases.

Bebidas gaseificadas podem auxiliar no alívio dos sintomas e, em alguns casos, seu médico de confiança pode receitar alguns remédios próprios para o problema.

Hemorroidas e Constipação Intestinal

Os músculos da gestante tendem a ficar mais relaxados por causa dos altos níveis de progesterona em circulação. Esse mecanismo é utilizado para deixar o corpo preparado para o crescimento do útero.

Entretanto, ao mesmo tempo, essa mudança tem impacto no trânsito intestinal, que pode levar à prisão de ventre. Em alguns casos, a suplementação de ferro pode agravar o problema.

As hemorroidas podem surgir ou piorar devido ao peso do bebê na barriga, a pressão feita pelo feto nos intestinos e a necessidade de fazer força para evacuar.

Para abrandar tais sintomas, ou mesmo evitá-los, recomenda-se o consumo de alimentos ricos em fibras, como hortaliças, cereais integrais e frutas.

Beber bastante água também é fundamental, pois a hidratação facilita a digestão e melhora a associação dos nutrientes.

Quando sentir necessidade, vá ao banheiro logo em seguida, porque segurar a vontade pode tornar a constipação ainda pior.

Banhos de assento podem ser recomendados para alívio das hemorroidas. Consulte um especialista caso haja necessidade.

Formigamento nas pernas e varizes

O aumento do fluxo sanguíneo e do peso para a pernas pode causar inchaços e varizes.

Como prevenção é importante evitar ficar muito tempo em pé ou sentada. Procure repousar deitada e com as pernas ligeiramente elevadas. Faça pausas de hora em hora no repouso para se movimentar e, assim, estimular a circulação do sangue.

Meias de compressão podem ser indicadas pelos médicos especialistas, se for necessário.

Mudanças na pele

Hormônios da gestação também são responsáveis por alterações na pele. Manchas marrons, conhecidas como melasmas, podem aparecer, especialmente na face.

O uso do protetor solar, mesmo em dias frios, é bastante útil para evitar o agravamento do problema, pois os raios de sol tendem a tornar as manchas mais escuras e dificultar o tratamento depois da gravidez.

Durante a gravidez, a oleosidade da pele costuma aumentar e favorecer o aparecimento de acne. Lavar o rosto pode auxiliar na diminuição da oleosidade, mas caso o problema esteja muito intenso, podem ser feita consultas com dermatologistas para que possam receitar medicamentos seguros para gestantes.

Coceiras e ressecamento, principalmente na barriga, também são comuns durante a gravidez. Alguns cremes hidratantes são bastante eficazes no auxílio desses sinais.

Algumas mulheres podem apresentar uma linha escura que vai do umbigo ao osso púbico, chamada linha nigra, que costuma clarear após o nascimento do bebê, até desaparecer por completo.

Esses são as mudanças mais comuns que acontecem no organismo durante a gravidez. O estilo de vida saudável, com alimentação correta e exercícios físicos são importantes para o controle e diminuição dos sintomas incômodos.

Lembre-se de fazer o pré-natal conforme indicado pelos especialistas e não hesite em entrar em contato com seu médico de confiança caso surjam qualquer tipo de dúvidas.