Mitos e Verdades sobre a Endometriose (Parte I)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Mitos e Verdades sobre a Endometriose

Esclarecemos, nesse artigo, alguns dos mitos e verdades sobre a endometriose.

A endometriose é uma condição clínica bastante complexa cuja causa ainda não foi esclarecida pelos pesquisadores do tema.

Fato é que a endometriose afeta cerca de 10% das mulheres que possuem útero e que estão em idade fértil.

O diagnóstico muitas vezes demora a ser feito, o que prejudica a eficácia dos tratamentos e a qualidade de vida das pacientes.

É fundamental promover debates e compartilhar informações sobre a endometriose, dessa forma mais pessoas podem conhecer as principais características da doença e ajudar a si mesmas ou as amigas e familiares.

Clique aqui para compreender o funcionamento da doença, seus sintomas, diagnóstico e tratamentos.

A seguir, no intuito de desmistificar e esclarecer alguns de seus aspectos, respondemos uma série de perguntas mais frequentes sobre endometriose.

Endometriose é uma doença rara?

Não. Ela está entre as doenças ginecológicas mais recorrentes. Estimativas apontam que 176 milhões de mulheres ao redor do mundo sofrem de endometriose.

Há casos em que a paciente tem endometriose e não se queixa de nenhum sintoma, o que dificulta a realização do diagnóstico. Muitas vezes são necessárias cirurgias para confirmar a ocorrência da doença.

Existem também mulheres que apresentam sintomas, procuram auxílio médico e mesmo assim demoram anos para ter um diagnóstico definitivo de endometriose.

Endometriose é contagiosa?

Não. A causa da doença ainda não foi descoberta, mas podemos afirmar que é impossível pegar endometriose.

Acredita-se que os fatores genéticos possuam grande relevância para o desenvolvimento dessa condição.

É fundamental diferenciar endometriose de endometrite. Essa última trata-se de uma inflamação do endométrio (tecido que reveste o útero na preparação para uma possível gravidez) que pode ocorrer a partir do contato com micro-organismos transmitidos pelo contato sexual ou por outros tipos de bactérias.

É possível engravidar com endometriose?

Talvez. A subfertilidade ou infertilidade são sintomas de endometriose.

A cada 10 mulheres que possuem a doença, de 2 a 5 desenvolvem alguma dificuldade para engravidar.

A relação entre infertilidade e endometriose pode ser explicada pelas alterações anatômicas, cicatrizes e pela própria inflamação dos órgãos afetados.

Tais fatores muitas vezes danificam os óvulos ou mesmo dificultam sua fecundação. Entretanto, existem tratamentos que podem auxiliar nesse quesito da fertilidade e há mulheres que conseguem engravidar apesar da endometriose.

Endometriose tem cura?

Não. Infelizmente ainda não foi descoberta uma cura definitiva para a endometriose. Porém, existem diferentes opções de tratamentos que melhoram a qualidade de vida das pacientes.

Com o auxílio de um profissional especializado é possível compreender a gravidade dos sintomas e o grau em que a doença está e, assim, escolher o tratamento mais adequado para cada caso.

Anticoncepcionais e outros medicamentos hormonais podem ser receitados para diminuir ou mesmo impedir a menstruação, evitando dessa forma que fragmentos do tecido endometrial fiquem alojados em partes indevidas do organismo da mulher ao invés de serem descartados junto com o sangue menstrual.

Fiquem ligadas que, em breve, colocaremos no ar a segunda parte dos Mitos e Verdades da Endometriose.

E lembre-se, você pode sempre contar com a Clínica Ayroza Ribeiro.