Saiba mais sobre os Miomas Intramurais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Saiba mais sobre os Miomas Intramurais

Os miomas intramurais são tumores benignos extremamente comuns entre as mulheres. Podem comprometer a cavidade uterina ao desenvolverem-se na parede interna do órgão. 

Normalmente são assintomáticos, entretanto, quando as pacientes apresentam sintomatologia, os relatos incluem aumento do fluxo menstrual, dores pélvicas e alterações na fertilidade.

Para saber mais sobre miomas uterinos, clique aqui.

Mioma Intramural

Causas e fatores de risco

As causas do aparecimento dos miomas intramurais ainda não são totalmente compreendidas pela ciência. Porém, sabe-se que esses nódulos são alimentados pelos hormônios abundantes no organismo feminino durante a fase reprodutiva, pois a ocorrência desse quadro clínico em mulheres que já passaram pela menopausa é pequena.

Outros fatores de risco:

  • Histórico familiar;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Nunca ter engravidado;
  • Dieta rica em carnes vermelhas, mas com poucos vegetais.

Principais Sintomas:

Na maioria dos casos, os miomas intramurais não oferecem grandes riscos para as pacientes, porém quando aumentam de tamanho podem desencadear severos desconfortos. Entre os principais sintomas dos miomas intramurais podemos citar:

  • dor na região inferior do abdômen;
  • sangramentos uterinos anormais;
  • compressão dos órgãos pélvicos próximos ao útero;
  • dificuldades para urinar e constipação intestinal.

Tratamento:

Para tratar miomas intramurais existem algumas opções que dependem das características e condições da paciente e do quadro clínico. 

Em casos mais simples a conduta expectante pode ser adotada. Nela, ocorre somente o monitoramento do desenvolvimento do mioma para saber se há ou não necessidade de interferir. 

Outra opção é a terapia com medicamentos, na qual anti-inflamatórios são receitados ou, inclusive, pode ser indicada uma terapia hormonal. Porém, tais métodos muitas vezes são paliativos, afinal os miomas costumam voltar a crescer depois que esses tipos de tratamento são interrompidos.

Os procedimentos cirúrgicos são indicados para quadros de maior complexidade e os métodos variam desde embolização da artéria uterina para interromper o abastecimento de sangue do nódulo, até a remoção do tumor a partir da miomectomia.

Em último caso a retirada do útero pode se fazer necessária, mas esses casos precisam ser bem analisados, principalmente se a paciente ainda deseja engravidar.

Procure seu médico de confiança e tire todas as dúvidas que venham a lhe ocorrer. A melhor forma de prevenção é não negligenciar as consultas e exames ginecológicos de rotina.

Desenvolva o hábito de cuidar da saúde do seu próprio corpo.