Insônia e Climatério

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Insônia e Climatério

No texto de hoje iremos explicar a relação entre insônia e climatério e quais medidas podem ser tomadas para melhorar a qualidade do sono. Confira!

É comum que mulheres que estejam passando pelo climatério, fase de transição para a menopausa (a última menstruação da mulher), sejam acometidas pela insônia e enfrentem dificuldades para dormir. Essa reação do organismo acontece devido ao desequilíbrio hormonal que acontece no corpo das mulheres que estão no final da idade reprodutiva

A diminuição nos níveis de estrogênio, hormônio fundamental para regular o relógio biológico feminino, pode prejudicar a qualidade do sono das pacientes, assim como as ondas de calor e sudorese que costumam surgir nessa fase da vida podem contribuir para o surgimento de quadros de insônia.

É necessário acompanhar a frequência desses episódios a fim de evitar que tornem-se crônicos. A prática de exercícios físicos e da higiene do sono são ótimas aliadas para aliviar os sintomas da insônia e proporcionar uma transição menos complicada para a pós-menopausa.

A comunidade médica define a insônia como um distúrbio psíquico-fisiológico desencadeado por desequilíbrios orgânicos ou hormonais que, muitas vezes, estão relacionados a problemas emocionais como fobias, ansiedade e preocupações excessivas.

Estudos apontam que a tendência à insônia é maior entre as mulheres e que a incidência do problema aumenta conforme a idade avança. Com a chegada do climatério a situação pode piorar, pois o desequilíbrio hormonal característico do final da idade reprodutiva é capaz de contribuir para o desenvolvimento de quadros depressivos, fogachos, suores excessivos e problemas do trato urinário.

No intuito de evitar que a insônia torne-se crônica, especialistas recomendam que as pacientes ponham em prática técnicas que colaboram para a chamada higiene do sono, que mais adiante iremos explicar como funciona.

Outras técnicas e práticas, como yoga, meditação, relaxamentos e diversos tipos de atividades físicas podem ser ótimas maneiras de descarregar energias e preocupações, atuando na prevenção da alteração de humor e melhorando as noites de sono.

Casos de ansiedade leve, muito comuns no climatério, também podem ser tratados com calmantes fitoterápicos. 

É importante ressaltar que nunca devemos recorrer à automedicação. Consulte sempre um médico de confiança para resolver todas as possíveis dúvidas.

A Higiene do Sono

As técnicas e dicas que compõem a prática da higiene do sono devem ser incorporadas no cotidiano, qualquer que seja o tratamento indicado.

Essa é uma terapia não medicamentosa sem contraindicações.

Os principais procedimentos sugeridos pelos especialistas para realizar a higiene do sono incluem:

  • realizar a última refeição até 20h;
  • dar preferência para pratos de fácil digestão;
  • evitar a prática de exercícios físicos após as 18h (depois desse horário as atividades físicas tendem a desregular o relógio biológico);
  • diminuir a luz dos ambientes uma hora antes de dormir para o organismo começar a produzir melatonina, o hormônio do sono;
  • Evitar o uso de aparelhos eletrônicos no período noturno ou pelo menos 30 minutos antes de dormir.
  • Buscar o relaxamento enquanto o sono não vem e apenas deitar na cama quando realmente sentir sono.

Dessa forma, você pode cuidar do seu corpo e diminuir os efeitos da insônia para melhorar seu bem-estar e qualidade de vida. Cuide-se sempre. É fundamental levar a saúde a sério.

A Clínica Ayroza Ribeiro está sempre à disposição.