Endometriose na Adolescência

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Endometriose na Adolescência

A doença conhecida como endometriose caracteriza-se pela presença do endométrio fora da cavidade uterina. Esse tecido que reveste o útero é expelido a cada menstruação, mas em alguns casos partes dele se deslocam contra o fluxo sanguíneo e se aloja nas trompas, ovários e até no intestino.

Essa condição, o quadro endometriótico, ocorre também em adolescentes e na maioria dos casos o diagnóstico nessa faixa etária é mais difícil de ser feito, pois alguns sintomas podem ser confundidos como normais nessa fase da vida.

Outro motivo que complica a diagnose é que muitas jovens com endometriose ainda não têm uma vida sexual ativa e, portanto, não manifestam sintomas como os incômodos durante relações sexuais e dificuldade para engravidar.

Mais da metade das meninas e jovens que apresentam cólicas fortes e persistentes sem sucesso nos tratamentos, acabam desenvolvendo endometriose. Para corroborar esse índice, uma pesquisa da Endometriosis Association afirma que cerca de 60% das mulheres adultas que sofrem da doença, recordam-se de terem apresentado sintomas antes dos 20 anos.

Uma investigação minuciosa faz toda a diferença, afinal pode existir um intervalo de 12 anos entre os primeiros sintomas e a confirmação da doença que, se não for identificada a tempo, pode vir a prejudicar de forma drástica a fertilidade da paciente.

O acompanhamento médico é indispensável na definição do melhor tratamento possível para que a qualidade de vida das adolescentes seja preservada.

Agende sua consulta na Clínica Ayroza Ribeiro.