Dra. Helizabet Salomão tira dúvidas sobre métodos anticoncepcionais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O programa Bem Estar, mostrou como escolher o ideal para cada caso. Decisão, no entanto, deve ser tomada sempre com orientação do médico.

O Bem Estar recebeu os ginecologistas José Bento e Helizabet Salomão Abdalla para explicar as diferenças entre os métodos anticoncepcionais. O mais usado pelas mulheres brasileiras é a pílula – cerca de 20% das pacientes usam, mas antes de optar pelo método, é fundamental procurar um médico para que essa escolha seja feita com orientação.

Muitas mulheres que usam contraceptivos costumam ter também efeitos colaterais, como enjoo, mal-estar e inchaço, mas o ginecologista José Bento explica que elas não devem se “conformar” com esses efeitos porque existem diversas outras alternativas de contracepção.

Há quem acredite ainda que o uso da pílula por muitos anos pode atrapalhar a gravidez, mas isso não acontece – ao contrário, o uso do remédio pode proteger a fertilidade já que evita, por exemplo, a endometriose, doença que é a principal causa de infertilidade nas mulheres. Caso alguma paciente tenha dificuldade para engravidar, o médico alerta que pode ser por algum outro problema, mas não pelo uso da pílula.

Confira no vídeo abaixo: