Qual a diferença entre pólipos, miomas e cistos?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Qual a diferença entre pólipos, miomas e cistos

Pólipos, miomas uterinos e cistos são disfunções, na maioria das vezes benignas, que acometem principalmente mulheres em idade fértil, pois é nessa fase da vida que ocorre maior atividade hormonal.

Essas irregularidades fisiológicas no organismo feminino são bastante comuns e, inclusive podem desencadear sintomas muito parecidos, como cólicas, aumento do fluxo menstrual e, nos casos mais graves, infertilidade e abortamentos. 

Porém, em muitos casos as pacientes não apresentam sintomatologia e, por isso, saber a diferença entre tais disfunções pode ser útil e, inclusive, tranquilizador.

Todavia, a assistência médica especializada é a melhor forma de prevenir, identificar e tratar esses quadros clínicos. Por isso, não negligencie as consultas e exames ginecológicos de rotina, eles são fundamentais para seu bem-estar e saúde. Afinal, o diagnóstico precoce é imprescindível para que a abordagem de tratamento dessas proeminências seja menos invasiva e mais conservadora, possibilitando intervenções seguras para as pacientes.

Pólipos:

São formações macias e volumosas que se desenvolvem no corpo do útero (pólipo endometrial) ou no colo uterino (pólipo endocervical) a partir do crescimento desordenado das glândulas endometriais e do tecido que as revestem.

Pólipos podem surgir em mulheres de todas as faixas etárias e é um dos principais causadores do sangramento uterino anormal (cerca de 20% dos casos). As lesões podem ser solitárias ou múltiplas e apresentam diferentes tamanhos, desde poucos milímetros até vários centímetros.

Na imensa maioria das vezes o pólipo é benigno, entretanto pode ocorrer malignidade dos tumores em 1-2% dos casos que, geralmente, atingem mulheres mais velhas. Logo, é fundamental para as mulheres que apresentam sangramento vaginal depois de terem passado pela menopausa, buscar auxílio médico imediatamente.

Miomas:

Miomas são tumores benignos que se desenvolvem a partir do músculo liso do útero e afetam, principalmente, mulheres com mais de 35 anos.

Esse tipo de lesão é mais comum em mulheres negras e a predisposição genética parece ser um fator decisivo para seu desenvolvimento.

O estrogênio é o hormônio responsável por causar essa alteração e, justamente por isso, os miomas tendem a surgir durante o período reprodutivo da vida das mulheres e tendem a regredir após a menopausa.

Miomas uterinos podem ter diferentes tamanhos e a classificação varia conforme sua localização:

  • submucoso (próximo da camada interna do útero)
  • intramural (dentro da camada muscular uterina)
  • subserosos (parte mais externa do útero)

Cistos:

Diferente dos pólipos e miomas, os cistos costumam aparecer nos ovários e apresentam maior taxa de malignidade. 

Existem diferentes tipos de cistos ovarianos e, geralmente, ocorrem em mulheres mais jovens (entre 20 e 35 anos).

Os mais corriqueiros são os cistos funcionais benignos de regressão espontânea, endometriomas e teratomas.

É fundamental a avaliação com auxílio de ultrassonografia para identificar corretamente o tamanho da lesão e o fluxo sanguíneo ao redor. 

Não deixe sua saúde para depois, trate-a como prioridade. Ao surgirem incômodos ou algum dos sintomas relacionados, procure assistência médica de confiança.