Dieta Protetora

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Dieta Protetora

Ainda não existem respostas definitivas para entender as causas da endometriose. O que dá para afirmar é que existem relações entre o estilo de vida e o desenvolvimento da doença. Por se tratar de uma doença inflamatória, uma alimentação balanceada contribui para a proteção do organismo e cumpre um papel complementar ao tratamento médico, melhorando sintomas e evitando a progressão do quadro endometriótico.

O considerável aumento do consumo de carne vermelha, embutidos, frituras e alimentos ultraprocessados, ricos em gordura ômega 6, têm contribuído para piorar a qualidade de vida de pessoas em todo planeta. No que diz respeito à endometriose, tais gorduras pioram a inflamação e as consequentes dores causadas pela presença indevida do endométrio fora do útero.

Há alguns dados conflitantes na literatura médica especializada no assunto, mas o papel de certos nutrientes no controle de processos inflamatórios é inegável. Portanto, as mulheres devem dar preferência a alimentos que apresentem bons índices de ômega 3 e outras gorduras de boa qualidade como nozes, amêndoas, linhaça, sementes de chia, entre outros. É indicado também o consumo de antioxidantes presentes nas vitaminas A (vegetais verde-escuros e amarelo-alaranjados), C (tomate, pimentão e frutas cítricas) e E (azeite, abacate, cereais integrais), essenciais no combate aos radicais livres tão nocivos para quem possui algum tipo de inflamação.

Vitaminas do complexo B também são aliadas das mulheres, pois auxiliam na regulação do ciclo menstrual e também modulam inflamações. As dores relacionadas à endometriose tendem a diminuir com a presença desse grupo vitamínico na alimentação, enquanto que farinha de trigo refinada, cafeína, açúcar e bebidas alcoólicas devem ser evitadas por diminuírem os níveis dessas vitaminas no organismo.

É de extrema importância que o consumo de alimentos orgânicos e saudáveis sejam incentivados desde cedo para que bons hábitos sejam desenvolvidos. Ingestão de legumes, verduras e frutas são fundamentais, assim como a preferência por carnes, ovos e leite de animais criados sem reforços de hormônio, porque a endometriose está intimamente ligada a níveis hormonais desregulados.