As Possíveis Causas da Baixa Libido

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
As Possíveis Causas da Baixa Libido

Compreenda melhor as causas da baixa libido com a leitura deste artigo.

Não é sempre que desejamos dividir a casa com alguém e isso é normal. A libido feminina, de fato, não é algo simples.

Existem diferentes explicações para a falta de apetite sexual, seja por um dia, durante semanas ou até meses.

Caso você esteja angustiada com uma situação desse gênero, recomendamos que busque auxílio de um profissional especializado.

Ginecologistas podem te ajudar a investigar melhor as possíveis causas para a diminuição da libido, que variam desde os níveis de estresse a que você pode estar exposta, até o tipo de método contraceptivo utilizado.

Entretanto, existe a possibilidade da falta de vontade sexual ser desencadeada por um problema de saúde mais complexo. Por isso o acompanhamento médico é tão importante.

Principais Origens da Baixa Libido:

Antes de mais nada, vale ressaltar que não existe um parâmetro universal para os níveis de desejo sexual. Cada pessoa é diferente da outra e as estatísticas sobre práticas e frequência sexuais podem não ser fidedignas à realidade. Afinal, pessoas mentem.

Tenha em mente que a libido das mulheres é sensível e naturalmente tende a oscilar.

  • Ciclos Menstruais e Ovulação: é possível que mulheres sintam mais vontade de ter relações sexuais quando estão ovulando. O oposto também pode ocorrer, principalmente durante a menstruação.

O organismo tem seus movimentos naturais e saber interpretar seus sinais pode ajudar a melhorar sua atividade sexual.

  • Mudanças na Vida: todas nós estamos sujeitas a sofrer com mudanças drásticas e seus efeitos. A aflição de perder o emprego, o luto pelo falecimento de familiares e quadros depressivos fazem com que haja diminuição da libido.

O fator psicológico desempenha papel fundamental em nossas vidas sexuais.

Baixa auto-estima pode também pode fazer com que você não se sinta atraente ou sensual. Seja gentil consigo mesma e reflita sobre a possibilidade de entrar em contato com profissionais da área da saúde mental.

  • Medicamentos: existem remédios com efeitos colaterais capazes de desregular a atividade dos neurotransmissores e os níveis hormonais em sem organismo.

Medicamentos ansiolíticos e antidepressivos, por exemplo, podem acarretar dificuldades para atingir o orgasmo e, até mesmo, amenizar a vontade de fazer sexo.

Da mesma forma, algumas circunstâncias como os distúrbios na glândula tireoide e a síndrome dos ovários policísticos, notadamente desregulam os níveis hormonais e prejudicam a libido.

  • Métodos Contraceptivos: este fator muitas vezes é esquecido, porém as pílulas, adesivos e anéis também podem interferir no desejo sexual das mulheres.

A presença de progesterona e estrogênio nos anticoncepcionais tem a função de impedir a ovulação. Dessa maneira, ocorre uma estabilização dos níveis hormonais e seus picos e quedas naturais deixam de acontecer.

O aumento de estrogênio, característico do período da ovulação e igualmente responsável por certo aumento no apetite sexual, não ocorre e pode ser que a vontade de se relacionar diminua.

Outro aspecto inerente ao uso da pílula é que ela faz com que a quantidade de testosterona no organismo feminino diminua e, consequentemente, o mesmo acontece com a libido.

Algumas mulheres, por outro lado, ficam mais confortáveis para fazer sexo quando estão seguras com seus métodos contraceptivos. Por isso, a vontade sexual realmente varia de acordo com o organismo e os aspectos psicológicos de cada mulher.

  • Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo: existe, para além dos fatores citados anteriormente, um transtorno que afeta diretamente a libido, conhecido como síndrome ou transtorno do desejo sexual hipoativo.

Essa condição faz com que as pessoas afetadas por ela quase não tenham desejo de fazer sexo e nem fantasiem com relações íntimas.

Paciente relatam que o desejo desaparece de repente e, muitas vezes, surge uma angústia perturbadora, justamente por perceberem a falta de vontade até de simplesmente pensar em sexo.

O diagnóstico desse tipo de transtorno depende de uma avaliação criteriosa feita por profissionais capacitados. 

Tratamentos:

Somente médicas e médicos podem indicar o tratamento ideal para cada condição e suas causas particulares.

Todavia, listamos algumas dicas que podem te ajudar a aumentar o desejo sexual:

  • Procure livros e filmes que possam estimular os desejos e a libido;
  • Considere a ideia de buscar ajuda de uma terapeuta sexual;
  • Pergunte ao seu médico quais alimentos são aconselhados nesses casos e se há alguma suplementação capaz de ajudar;
  • Converse com seu parceiro ou parceira e busque compreender o que os excita.

Lembre-se de que não há motivo algum para se envergonhar caso perceba algum problema com sua libido. Converse com as pessoas de sua confiança e busque assistência médica.