Alimentação Saudável para Gestantes – 7 Dicas Importantes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Alimentação Saudável para Gestantes

A gestação é uma fase especial na vida de muitas mulheres e que exige cuidados específicos com a saúde da mamãe e do bebê.

É importante que as gestantes realizem todos os exames médicos necessários e cuidem do próprio bem-estar. Na alimentação está uma das chaves para o desenvolvimento saudável da criança.

A insegurança em relação aos hábitos alimentares e possíveis restrições ou dietas é algo comum entre as futuras mamães. Assim sendo, nós separamos 7 dicas importantes sobre alimentação saudável para gestantes que você precisa conhecer.

1 – Conheça os nutrientes e a importância deles para a gestação

É preciso compreender que mulheres grávidas necessitam do auxílio de todos os macro e micronutrientes para que o bebê cresça saudável. Por isso, dietas restritivas e hábitos alimentares prejudiciais devem ser altamente desencorajados.

O ácido fólico, conhecido também como vitamina B9, desempenha papel primordial no fechamento correto da espinha dorsal e na formação do tubo neural do feto, onde crescerá todo o sistema nervoso do bebê.

O ideal é que o ácido fólico seja consumido 3 meses antes da gestação e mantido por, pelo menos, 12 semanas depois do seu início.

O ferro é outro nutriente bastante importante nessa fase da vida da mulher, pois auxilia na produção de hemoglobinas saudáveis que irão manter a oxigenação do cérebro, otimizar a circulação sanguínea, auxiliar na qualidade do sono e fortalecer o sistema imunológico.

Caso os enjoos apareçam e perturbem, o indicado é consumir alimentos com alto índice de vitamina B6, como bananas, lentilha e carnes.

2 – Inclua cereais integrais no cardápio

O corpo feminino precisa de muita energia para que os nove meses de gestação transcorram da forma mais tranquila possível. Afinal, além da gestante fornecer energia metabólica para que o bebê possa crescer apropriadamente, a mulher também precisa manter as próprias funções vitais.

Dessa forma, o consumo de carboidratos é imprescindível, pois são as melhores fontes de energia que encontramos na natureza.

Entretanto, é necessário cautela para não exagerar na ingestão desse grupo de nutrientes que pode levar ao ganho de peso excessivo e ao desenvolvimento de diabetes gestacional.

A fim de evitar essas condições indesejadas, o indicado é dar preferência aos carboidratos integrais. Eles possuem baixo índice glicêmico, fator que garante que sejam digeridos de forma mais lenta, prolongando a energia, reduzindo a liberação de açúcar na corrente sanguínea e diminuindo a chance de serem estocados como gordura.

Por apresentarem mais fibras em sua composição, os carboidratos complexos também promovem uma sensação de saciedade mais duradoura, o que ajuda a manter uma rotina balanceada de refeições.

3 – Lembre-se dos laticínios

O leite e seus derivados são excelentes fontes de proteína com alto valor biológico e também de vitamina B12 e ferro. Inclusive, colaboram com a ingestão satisfatória de vitamina D e cálcio, essenciais para a estrutura óssea do feto.

4 – Valorize a ingestão de carne

Consumir carne durante a gravidez, principalmente carne vermelha, é muito importante. 

Os nutrientes encontrados nesse tipo de alimento, como as proteínas de alto valor biológico, ferro e vitamina B12 ajudam na estruturação das células e tecidos corporais do bebê, bem como na formação correta de seu sistema imunológico

Os nutrientes encontrados nas carnes também contribuem para a reposição de eventuais perdas que possam ocorrer no organismo da gestante.

Todavia, é preciso ter cuidado com as carnes gordurosas! Escolha sempre as opções mais magras e não consuma carne crua em nenhuma circunstância, pois esse hábito representa um alto risco de contaminação.

As mães adeptas do vegetarianismo ou veganismo podem ter uma gravidez saudável, porém é fundamental que sejam acompanhadas por médicos e nutricionistas especializados.

5 – Folhas, legumes e frutas são grandes aliados

Vegetais e frutas não podem ficar de fora em nenhum cardápio, muito menos no “menu” das gestantes.

São excelentes fontes de vitaminas e minerais essenciais para o funcionamento do organismo e também apresentam uma ótima quantidade de fibras. Confie neles para evitar quadros de constipação intestinal, bastante corriqueiros na gravidez.

O alto índice de ferro, zinco, cálcio, fósforo, flavonoides, fitonutrientes e antioxidantes são mais alguns motivos para incluí-los nos pratos das futuras mamães.

Porém é preciso higienizar muito bem as frutas e vegetais antes de serem consumidos pelas gestantes. Dessa forma, garantimos que infecções alimentares mantenham-se distantes.

Escolha alimentos orgânicos, livre de agrotóxicos que enfraquecem a biodisponibilidade dos nutrientes e oferecem sérios riscos para a saúde.

6 – Suplementação muitas vezes pode ser necessária em conjunto com a alimentação saudável para gestantes

Mesmo que os alimentos citados sejam ingeridos na quantidade adequada, é possível que algumas gestantes apresentem a necessidade de complementar a dieta por causa da alta necessidade do bebê.

Por isso, é comum que médicos e nutricionistas receitem suplementação de micronutrientes como ferro, ácido fólico, vitamina B12 e ômega-3.

Consulte seu médico e resolva todas as dúvidas sobre suplementação antes de tomar qualquer decisão por conta própria.

7 – Cuidado com certos alimentos e bebidas

Alguns tipos de alimentos e bebidas precisam ser evitados durante a gravidez.

Embutidos, adoçantes, alimentos industrializados, bebidas alcoólicas e bebidas com alto índice de cafeína são prejudiciais para o desenvolvimento do bebê e qualidade de vida da gestante.

A nutrição adequada e o acompanhamento por profissionais da saúde especializados são partes essenciais para que essa jornada tão especial possa transcorrer sem maiores sobressaltos. Tenha sempre em mente quão importante é o pré-natal e siga todas as recomendações médicas.

A saúde deve vir em primeiro lugar, não se esqueça.