A importância da Alimentação no tratamento da Endometriose

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
A importância da Alimentação no tratamento da Endometriose

A endometriose tem se tornado uma patologia cada vez mais comum entre as mulheres em idade reprodutiva. Hoje em dia, ao menos uma em cada dez mulheres é portadora da doença, e muitas ainda nem sabem. Embora esteja se tornando comum, ainda é uma doença cercada de dúvidas. Suas causas e a cura definitiva ainda não foram descobertas, mas o tratamento é capaz de melhorar seus sintomas e evitar que a doença progrida para graus mais severos.

A alimentação é algo bastante decisivo no tratamento da endometriose. Muitos alimentos errados podem contribuir para o aumento de dores e inflamações, e consequentemente agravando o quadro da doença. A alimentação adequada é uma grande aliada no combate dos sintomas da endometriose. Uma dieta balanceada, rica em vitaminas e minerais pode prevenir a endometriose assim como auxiliar no seu tratamento, reforçar seu sistema imunológico e reduzir os sintomas da doença.

Muitos estudos comprovaram que vitaminas do Complexo B, Magnésio e a suplementação de Ômega-3 exercem no organismo um papel anti-inflamatório, extremamente importante, principalmente para pacientes com endometriose.

Conheça alguns alimentos ricos em Magnésio, Ômega-3 e vitaminas do Complexo B:

  • Magnésio (mineral): folhas verdes escuras como agrião, rúcula, espinafre, escarola, chicória, almeirão, brócolis, couve de Bruxelas, couve manteiga; alimentos integrais (gérmen de trigo, arroz, aveia, centeio, cevada, milho, quinoa, amaranto); semente de girassol, castanhas, tofu.
  • Ômega-3 (tipo de gordura): óleo de linhaça, linhaça, óleo de canola, óleo de soja, peixes, em especial: sardinha, arenque, salmão, cavala, atum, truta; folhas verdes escuras (agrião, hortelã, brócolis cru, couve manteiga crua); soja, milho, aveia, abacate, algas marinhas e semente de chia.
  • Vitaminas do complexo B (vitaminas): alimentos integrais e folhas verdes escuras (como destacados nas fontes de magnésio), carnes, peixes, queijo e ricota, feijões, cogumelos, algas marinhas, gema de ovo, sementes de girassol e geleia real.

Procure evitar embutidos e enlatados e dê sempre preferência a produtos orgânicos, os agrotóxicos e os hormônios têm sido apontados como grandes vilões na alimentação. Lembrando que é fundamental o acompanhamento por um nutricionista para que o equilíbrio necessário da sua dieta seja atendido, reduzindo assim a inflamação causada pela endometriose.